O que é freelancer e como começar?

O Freelancer é alguém que trabalha por conta própria, ou seja, é um profissional autônomo que presta serviços para pessoas e empresas.

É quase uma empresa prestadora de serviço, porém formada por uma única pessoa.

A grande vantagem para as empresas ao contratar um freelancer é a possibilidade de contratar um bom profissional sem vínculo empregatício nem as altas taxas pagas na folha de pagamento.

A grande vantagem para o profissional é que ele pode administrar o seu tempo e, trabalhar em vários projetos ao mesmo tempo.

Como me Tornar um Freelancer?

Com um mercado de trabalho cada vez mais disputado e difícil é comum que algumas pessoas se perguntem sobre “como me tornar um freelancer?”.

Essa pode ser a alternativa ideal para você, caso deseje trabalhar por conta própria.

A vida de freelancer vem chamando a atenção dos brasileiros, e hoje, milhões de pessoas apostam nesse “emprego” sem formalidades.

Nem de longe isso significa que ser freelancer não demande cautela, organização e responsabilidade.

Muito pelo contrário!

Para ter sucesso nessa carreira você precisa entender que ser o seu próprio chefe é a parte mais complexa.

É preciso estipular horas de trabalho, organizar as demandas, e entregar resultados excelentes.

Mas com certeza, todo o trabalho valerá a pena, pois um bom freelancer pode lucrar muito mais do que em outros empregos, e terá uma vida mais livre, com tempo para fazer as coisas que ama.

Evidentemente, no início é preciso mais dedicação e planejamento, porém o melhor de tudo isso é que é possível viver como freelancer e pagar suas contas.

Como começar como freelancer?

A primeira coisa a fazer é entender o que você pode fazer. Defina um projeto, uma função que você possa cumprir enquanto profissional.

É importante que essa escolha seja baseada em duas premissas básicas:

  • O que você SABE fazer e o que você GOSTA de fazer.

Um equilíbrio entre as duas coisas resultará no trabalho perfeito.

Muita gente trava exatamente neste ponto: é preciso descobrir em que você é bom. Quais conhecimentos se destacam em sua vida profissional.

Às vezes, pode ser uma habilidade manual, um hobby, algo ligado à sua própria profissão e uma grande ideia de negócio.

Faça um planejamento

Então, o segredo aqui é planejamento. Colocar no papel todos os seus conhecimentos e habilidades para fazer um plano de negócio e poder começar na vida freelancer.

Se você está começando ou mesmo já começou e pulou essa etapa meu conselho é monte um projeto bem estruturado com a sua ideia, analise concorrentes que oferecem os mesmos serviços.

Esteja preparado para enfrentar esse novo universo.

O plano deve envolver:

  • Plano de negócios
  • Definir nicho de mercado
  • Escolher o seu público-alvo ou persona
  • Traçar estratégias de marketing
  • Construir um portfólio
  • Ter um perfil no LinkedIn atualizado
  • Ter meios de contatos (Skype, e-mail, telefone etc.)
  • Ter noção de preços

Planeje-se: tenha um dinheiro guardado

É importantíssimo ter um dinheiro guardado. Quando você pesquisa sobre “como me tornar um freelancer” essa é uma das dicas mais recorrentes.

A vida de freelancer não garante a você um salário fixo como um regime CLT. Assim sendo você precisa se organizar para não passar por perrengues financeiros.

Então, faça uma reserva antes de se jogar nesse universo.

Certo, mas nem todos têm dinheiro para começar, não é verdade?

Mas, pelo menos tenha em mente que você precisará de apoio no início na parte financeira, pois até o momento de se estabelecer como freelancer você viverá momentos de altos e baixos.

Brochure vector created by pikisuperstar – www.freepik.com

Construa o seu Porftfólio

Para apresentar o seu trabalho e conquistar clientes é preciso ter um portfólio. A contratação de freelances depende muito do que é apresentado, e você entrará em muitas disputas por trabalho com outros profissionais.

Então, crie um site, um blog ou uma página em redes sociais especificamente para apresentar o seu trabalho, o que você produz, e vender a sua ideia.

Seu portfólio pode ser feito por meio de Power point, Canva, portfólios online como Behance, Contently e outros.

Aqui faço um alerta é preciso acreditar em você e no que você faz.

Freelancer Não Precisa De Formação – Verdadeiro Ou Falso?

O mercado de profissionais livres tem crescido potencialmente, e cada vez mais gente escolhe esse modelo de trabalho. Com isso surgem também muitas pessoas despreparadas para as funções que assumem.

A principal arma do freelancer é a excelência no que faz.

Então, mais do que saber “como me tornar um freelancer” é importante se perguntar: como me tornar o melhor no que faço?

Estude, faça cursos online, workshops, participe de comunidades relacionadas ao seu nicho de atuação. Tudo isso é fundamental para que você consiga entregar um resultado excelente.

Ser Freelancer é fácil?

Ser freelancer traz suas dificuldades como qualquer outro tipo de trabalho, no entanto, pode ser algo absolutamente recompensador.

Segundo estatísticas, muitas pessoas deixariam o seu trabalho tradicional pelo trabalho freelance, porém isso não significa que ser freelance é fácil.

É o tipo de trabalho que te dá a verdadeira sensação de estar fazendo algo, construindo um projeto que é seu, e que pode trazer resultados palpáveis.

Além disso, é a oportunidade de melhorar a sua condição financeira.

Agora que já sabe “como se tornar um freelancer” arregace as mangas e comece a se dedicar ao que realmente importa: seus talentos e seus sonhos.

A Importância Da Definição De Horários

“Agora já sei como me tornar um freelancer, e posso começar a trabalhar a hora que eu quiser”. Errado! Você deve definir muito bem os seus horários de trabalho, de modo que não deixe de ganhar dinheiro por preguiça e procrastinação.

É claro que uma das vantagens desse tipo de trabalho é justamente a maleabilidade dos horários. Você pode, sim, encaixar outras tarefas essenciais em sua rotina, e movimentar o seu tempo de produção de acordo com isso.

Contudo, fuja da procrastinação. Para o freelancer esse é um dos pontos mais difíceis. Aproveite a sua liberdade com sabedoria, e faça valer os seus esforços trabalhando o suficiente para garantir a sua renda.

Comece o Quanto Antes!

Sair do mercado tradicional de trabalho para se jogar na vida de profissional autônoma e livre é assustador – mas traz gratas surpresas!

Portanto, você deve começar o quanto antes, tão logo consiga se organizar, planejar e se preparar para isso. Assim você terá não somente os lucros que espera, mas também a liberdade profissional que tanto sonha.

Quanto cobrar pelo trabalho freelancer?

Se você é um trabalhador autônomo com certeza já se pegou questionando: quanto cobrar pelo meu trabalho freelancer? Afinal, saber precificar corretamente o que você oferece é uma das coisas mais importantes!

Mas essa é uma das maiores dificuldades dos profissionais que fazem freela. Definir o valor daquilo que você faz pode realmente ser trabalhoso – mas também será definitivo para o seu sucesso.

Esse também é um exercício interessante para aprender a valorizar o seu trabalho.

Então, chegou a hora de etiquetar a sua função e decidir quanto cobrar pelos seus serviços. Entender como fazer isso corretamente é o primeiro passo!

Não Sei Quanto Cobrar Pelo Meu Trabalho Freelancer – E Agora?

Se você está começando agora a trabalhar dessa forma é normal ter dúvidas e se pegar pensando “não sei quanto cobrar pelo meu trabalho freelancer”.

Não existe uma regra para isso, e muitos fatores podem impactar no seu preço. Mas temos algumas dicas!

Quanto ganha um profissional freelance?

Um profissional freelance ganha conforme a sua produção, ou seja, de acordo com aquilo que produz.

Portanto, ele não tem um salário fixo. O profissional irá estipular quanto vale o seu trabalho.

Logo, a remuneração desse profissional é variável, podendo em alguns meses ser bastante e em meses de poucos projetos, a renda baixar consideravelmente.

Depende a área em que atua o freelance, haverá meses de muita demanda, onde se não se tem o devido cuidado pode ficar realmente estressado.

O quanto ganha um profissional freelance dependerá do tempo de experiência, poder de negociação para fechar projetos, sazonalidade, o quanto o profissional está investindo em seu marketing entre muitos outros fatores.

Por exemplo, existe uma grande demanda para profissionais de tecnologia de informação, profissionais de marketing digital, redatores e tradutores.

Evidentemente, quanto mais especializado e conhecido o profissional se tornar mais receberá por isso.

Invista sempre em sua carreira e encare o trabalho freelance como um negócio.

Cobrar com base no salário

Uma das formas para basear o valor do serviço freelancer é observando o salário pago em sua profissão ou tarefa.

Nesse caso, você deve multiplicar a quantidade de dias do mês trabalhados pela quantidade de horas diárias.

Obtendo o resultado, deverá dividir o salário mensal pelo valor obtido na conta anterior. No caso de um salário de 2,500,00/ mês para uma carga de 8 horas e 20 dias mensais a conta ficaria assim:

  • 20 x 8 = 160;
  • 2.500 / 160: 15,6;

Então, no caso desse cenário fictício o valor da hora desse profissional é R$ 15,60. Esse valor seria arredondado para 16 reais, e você chegaria à resposta para “quanto cobrar pelo meu trabalho freelancer

É possível valorizar ainda mais a sua atuação se considerar que um freela custa bem menos que um contratado.

Geralmente o regime CLT traz uma série de tributos que fazem com que um funcionário custe o dobro do que recebe para a empresa.

Então, você poderia cobrar o dobro pela sua hora, elevando isso a R$ 32,00.

Evidentemente, esse cálculo é apenas uma base de valores. Não estamos considerando as 220 horas mensais de um cálculo trabalhista.

Outras formas de precificar seu trabalho

Essa não é a única resposta para a pergunta “quanto cobrar pelo meu trabalho freelancer?”.

Existem outras possibilidades para quem quer precificar corretamente as horas.

Você basear o seu preço em uma meta.

Por exemplo, se você quer fazer uma viagem ao exterior, e precisa ter 10 mil reais para isso, pode fazer um cálculo para chegar exatamente a esse valor.

Nesse caso é mais interessante fazer esse tipo de cálculo quando o freela é a sua renda extra. Então, você usará o salário principal para arcar com as contas essenciais e o que entrara mais para o seu plano estipulado.

Pode ainda optar por calcular com base no valor que você deseja ganhar. Se por exemplo, você deseja ganhar R$ 4.000 ao mês, divida esse valor pelas horas que você normalmente trabalha.

Supondo que você trabalha 6 horas diárias, divida os R$ 4.000 por 6 nos 5 dias da semana e você chegará ao seu valor hora.

Cobrar com base no serviços entregue

Você também poderá calcular o valor de seu serviço com base a um serviço entregue. Por exemplo, a entrega de um site completa custa X valor.

O importante nesse caso é fazer uma pesquisa de mercado.

Há outros tipos de profissionais, tais como redatores, tradutores e revisores que podem calcular com base na quantidade de palavras ou laudas.

Nesse caso específico, se você é tradutor ou revisor freelancer poderá ter como base o valor estipulado pelo Sindicato dos tradutores (SINTRA).

Confira a tabela de serviços dos tradutores aqui.

Qual é a melhor opção: cobrar por hora ou por valor fixo?

Não existe uma regra.

Mas, é interessante fazer uma pesquisa de mercado e entender quanto os outros profissionais estão cobrando dentro do seu nicho.

Procure não desvalorizar o seu trabalho, nem a profissão.

O fato de trabalhar como freelance não significa que você deva cobrar menos ou que considera o seu trabalho como um bico temporário.

Se você deseja viver de serviços freelances precisa ter um posicionamento diferenciado. Os seus contratantes irão perceber isso na maneira que você escreve ou se comunica.

Acredite nisso!

Que cliente você deseja captar? Aquele que valoriza um trabalho profissional ou aquele que está somente em busca de trabalho barato? Pense nisso.

Faça uma pesquisa em sites pela internet. Você encontrará o valor aproximado dos serviços cobrados por outras empresas ou profissionais.

Depois dessa pesquisa, estabeleça quanto irá cobrar pelos seus serviços. Seja profissional e tenha uma tabela formatada com o valor por hora ou por projeto, ou seja, conforme cada situação.

Não esqueça também de ter um modelo de contrato para prestação de serviços.

Também é de bom-tom ter orçamentos e formulários com o seu logotipo e marca.

Dados Que Precisam Obrigatoriamente Ser Considerados

Anteriormente comentamos sobre não existir uma fórmula engessada para responder à questão “Quanto cobrar pelo meu trabalho freelancer?”.

Algumas coisas precisam ser consideradas para que você estipule um preço adequado.

  • Complexidade:

A complexidade do trabalho e o seu nível de preparo para realizá-lo naturalmente interferem no valor a ser cobrado.

Se estamos falando da produção e conteúdo, por exemplo, você deve considerar coisas como: é um artigo científico ou não? Quantas fontes precisarão ser consultadas? Preciso pesquisar por imagens? Entre outras coisas.

  • Custos adicionais:

Também é fundamental analisar quais são os custos adicionais que envolvem a execução do seu trabalho. Gasto com energia elétrica, transporte (quando existe, estacionamento, questões de segurança, reposição de material etc.

Mantenha um preço coerente com o Mercado!

A tendência de quem está começando é sempre cobrar um valor mais baixo do que a média do mercado. Isso não é indicado!

Quando você abaixa demais o seu preço acaba contribuindo com a desvalorização da sua função. Então, analise o valor médio cobrado pelos profissionais que desempenham o mesmo papel.

Para algumas funções – como jornalistas, fotógrafos etc. – existem até mesmo sindicatos que disponibilizam uma tabela com valores padronizados. Você pode se basear nisso para fazer a cobrança.

  • Ajuste o preço e aprenda a negociar:

Trabalhar como freelancer requer jogo de cintura para negociações. O mais importante é que, ao passar um valor você se sinta satisfeito com ele.

Jamais precifique o seu trabalho de modo que, ao final, você se sinta injustiçado pelo que está recebendo.

Estipular o próprio preço é uma tarefa e tanto, mas será também um grande passo em sua carreira.

Então, ao se questionar sobre “quanto cobrar pelo meu trabalho freelancer?” analise o seu valor profissional com carinho.

Como receber pagamentos?

Uma dúvida recorrente é como receber pelos meus serviços?

No seu contrato de prestação de serviços deve haver uma cláusula, onde conste de forma clara as condições de pagamento.

Você irá dar prazo para o seu cliente?

Você receberá parte do valor antes de começar o trabalho?

Que segurança irá ter para receber pelos seus serviços?

Emitirá boletos bancários?

Receberá por meio de bancos digitais, transferência ou paypal?

Todas essas questões precisam estar claras antes de iniciar o seu serviço.

Não faça a besteira de pensar nisso depois ou ficar a mercê do cliente. Lembre-se que cada uma dessas formas de pagamento possuem suas taxas, que devem ser consideradas no seu custo final.

E então, está pronto para dar o próximo passo na sua vida profissional? Comente sobre seus projetos e compartilhe o texto!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.